sábado, 14 de junho de 2014

De quem é a mentira?

Hoje recebi um e-mail com um vídeo. Intitulado: “Brasil, o país do futuro”.

No corpo do e-mail, escrito em vermelho e em negrito, dizia:

“Ai está, a verdade retratada neste vídeo. Digam que é mentira ou mais uma invenção dos de direita!!!!!! Por favor, ACORDEM DESTE PESADELO”

Eis o vídeo:


video



Lamentavelmente devo concordar que este vídeo expressa exatamente o que acontece em nosso país e que não é nenhuma mentira! Gostaria muito que fosse diferente. Mas esse texto, para ser relacionado a esse vídeo (que provavelmente foi criado por um brasileiro, pois a narração diz: “Não queremos mais ouvir que somos um país do futuro”), deve ter sido escrito por um brasileiro, adolescente, que só passou a ter consciência política somente dos últimos 11 anos.

Sim, porque, como diz o texto (em vermelho) essa não é uma invenção de direita, e parece relacioná-lo ao governo atual do Brasil, logo, o vídeo mostra uma realidade que só está acontecendo agora, depois que a essa “esquerda nojenta”, como dizem, tomou o poder. E então, devo concluir que antes de 2003 (quando o tal Lula ganhou as eleições) o Brasil era um país maravilhoso de se viver. Aqui se tinha moradia digna, a saúde exemplar, a educação era digna de se copiar e o Brasil não era dependente financeiro de nenhum país.

Ora, quando saindo da minha infância lembro-me de ter visto pela TV, prateleiras de supermercados vazias e de uma tal de inflação que passou a fazer parte do meu repertório de conhecimento desde então. Vi também pessoas desesperadas por terem suas poupanças confiscadas sem nenhum pudor e um presidente ser deposto por denúncias de corrupção e, ainda vi, medidas políticas implantadas para favorecimento da empresa privada (não que eu seja completamente contra). Mas não me lembro de ter visto medidas significantes em prol do povo menos abastado.

Lembro-me bem disso porque faço parte dessa classe menos abastada e via pais de família esperarem muitas vezes nas esquinas das ruas, políticos chegarem com caminhões em época de eleições para distribuir comida e colchões. Não sei a respeito de preços de carros nessa época, porque isso não fazia parte da minha realidade.

Nessa época, não existia bolsa família e vi muitas famílias reféns da humilhação em forma de comida que vinha através das mãos dos políticos, e estes faziam questão de entregar pessoalmente, para que os pobres lembrassem-se dele na hora do voto. Quem quisesse estudar deveria enfrentar o dilema entre sustentar o conhecimento ou a barriga, com o trabalho. 

Talvez alguém possa dizer que as medidas populares do governo atual seja um novo modo de se manter o voto de cabresto, será? Ao menos se deu dignidade a essa classe, se deu a ela o direito de decidir votar ou não em quem quer que seja, já que a imagem do “benfeitor” não está diretamente tão atrelada ao benefício quanto antes. Isso livrou muitos pais de família da humilhação pública de esperar cestas básicas. Agora eles podem decidir por conta própria qual sua prioridade, ou será que desejar uma geladeira nova deve ser sonho exclusivo de burguês? Agora afinal, com o “mal” do bolsa família, ficou mais caro para o político o poder de manipular pessoas.

De acordo com o texto e o vídeo desse e-mail, acho que devo concluir que estou equivocado quanto a tudo o que vi e vivi nesses anos todos, afinal, como fala o vídeo, o Brasil se tornou injusto, mas foi apenas depois de 2003. Antes de 2003 já ouvia falar de muitos brasileiros que deixaram o país pra morar longe de suas famílias, mas, deve ser porque estes brasileiros estavam em busca de aventuras, cansados da vida boa que levavam aqui, pois, o Brasil era bom.

Se a verdade retratada nesse vídeo é “UM PESADELO” atual do qual devo acordar, será que quando vi e vivi tudo aquilo no passado eu estava sonhando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário